Escute, os trabalhadores falaram!
    Estamos a assistir a uma transformação dramática no Mundo do Trabalho. O impacto da crise é muito acentuado e a velocidade da disrupção aumentou em muitos setores de atividade.

    Nestes tempos imprevisíveis, uma coisa é certa - esta crise deve atuar como um catalisador para um novo futuro do trabalho, que seja mais flexível, mais diversificado e mais orientado para o bem-estar.

    Para descobrir de que maneira esta crise está a acelerar a evolução nas Preferências dos Trabalhadores, a ManpowerGroup perguntou a mais de 8.000 pessoas em 8 países sobre a sua visão do futuro para os trabalhadores. Descarregue o estudo para aceder a uma nova visão de como este próximo normal pode eventualmente ser melhor para todos.
    COVID-19:
    Impacto Global no Mundo do Trabalho
    Legenda:
    Reino Unido, Itália - maior proporção de interrupções e licenças no trabalho; introdução rápida de programas de proteção de emprego.
    México, EUA com maior probabilidade de trabalhar desde casa; mais ansiosos com o regresso.
    Trabalharam desde casa devido à COVID-19
    Continuaram a ir ao local de trabalho
    Dispensados/interrupção de trabalho
    Trabalham sempre desde casa
    Despedidos
    Satisfeitos ou Infelizes?
    O Regresso ao Local de Trabalho

    Positivos

    • ALIVIADOS,
    • FELIZES,
    • ANIMADOS
    GEN Z
    Mais positivos. Mais espaço, vontade de rever os colegas, mais apetência pelas oportunidades de formação e networking, para progredir e ganhar mais.
    BOOMERS
    Desejosos de voltar. Preferem colaborar pessoalmente, valorizam a separação entre o trabalho e a casa.
    GEN X
    Com maior probabilidade de se sentirem aliviados e menos nervosos ou preocupados com a saúde. Ansiosos por voltar ao escritório para colaborar e poder concentrar-se.
    BRAVO
    Em Itália, um dos primeiros países impactados, os trabalhadores sentem-se mais confiantes, mas menos entusiasmados com perder a sua autonomia e liberdade recém-adquiridas.

    Negativos

    • PREOCUPADOS,
    • NERVOSOS,
    • TRISTES
    MILLENNIALS
    Geração menos positiva, especialmente os pais. Procuram garantias de que os trabalhadores doentes serão orientados para ficar em casa. A maioria deseja evitar os deslocamentos. Menos dispostos a perder a flexibilidade que ganharam.
    LAST OUT,
    LAST IN
    México, Espanha e EUA mais nervosos e menos aliviados por voltar ao trabalho.
    POLÍTICA
    No Reino Unido e nos EUA, onde a resposta tem sido mais politizada e fragmentada, as pessoas estão mais relutantes em regressar.
    GRANDES
    PROBLEMAS
    As grandes empresas precisam de fazer um maior esforço para trazer as pessoas de volta. Estes trabalhadores estão preocupados principalmente com maior exposição ao risco e pouco otimistas com o regresso.
    DAQUI PARA A FRENTE, O LOCAL DE TRABALHO TERÁ UM PROPÓSITO DIFERENTE.
    Poder socializar (30%) e colaborar com colegas pessoalmente (29%) é o que os trabalhadores consideram mais benéfico no regresso ao seu local de trabalho.
    43%
    Afirmam que a crise marca o fim do trabalho no escritório a tempo inteiro
    8EM10
    Querem mais trabalho remoto para poder gerir melhor a vida familiar - e muitos acreditam que terão um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional daqui para frente
    Se está à procura de emprego:
    Estamos aqui para ajudar e fornecer orientação na procura de emprego e no desenvolvimento de competências.
    Para empregadores:
    Estamos aqui para ajudar e orientar sobre a melhor forma de abordar os seus desafios de gestão de Talento.
    © 2016. Manpowergroup Portugal SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.
    Politica de Privacidade e Condições de Utilização
    Política de Cookies e Proteção de Dados Pessoais
    design by ativait | development by designbinário
    © 2016. Manpowergroup Portugal SGPS, S.A. Todos os direitos reservados.
    Política de Privacidade e Condições de Utilização
    Política de Cookies e Proteção de Dados Pessoais
    design by ativait | development by designbinário